sábado, 14 de julho de 2012

SOLUÇÃO PARA EXTERMÍNIO DE CARRAPATOS EM BOVINOS NAS PROPRIEDADES RURAIS!


sexta-feira, 13 de julho de 2012

Sem acordo, Marfrig pagará juros ao BNDES




A tentativa da Marfrig de adiar um pagamento de cerca de R$ 270 milhões ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não prosperou. A empresa informou que quitará a parcela da dívida na segunda-feira, prazo original previsto. O montante a ser pago pela companhia refere-se ao vencimento, no domingo, do cupom anual das debêntures obrigatoriamente conversíveis adquiridas pelo banco estatal em 2010. Conforme informou o Valor, a Marfrig pretendia rolar o pagamento devido neste ano para o vencimento final das debêntures, no mês de julho de 2015.

Procurada, a companhia informou, em nota, que "o procedimento deste ano será o mesmo do ano passado, quando pagamos a parcela devida". Também procurado, o BNDES não se pronunciou. Desde que a possibilidade de adiamento veio à tona, o banco de fomento mostrou resistência em aceitá-la.

A Marfrig via na operação uma maneira de ganhar fôlego num momento especialmente importante, em que trabalha para integrar as fábricas e marcas recebidas na operação de troca de ativos com a BRF - Brasil Foods. Ainda que fosse considerada uma boa opção, o mercado entende que pagamento dos juros ao BNDES não trará maiores dificuldades para a companhia.

A Marfrig encerrou o primeiro trimestre com uma disponibilidade de caixa de R$ 3,32 bilhões e uma dívida de curto prazo (que vence em um ano) de R$ 3,02 bilhões. "A negociação poderia trazer uma situação um pouco melhor, porque agora ela está recebendo alguns ativos da BRF, mas o pagamento está dentro da programação", diz o analista Cauê Pinheiro, da corretora SLW.




Fonte: http://www.valor.com.br

Região Centro Oeste - Acompanhe a previsão para o Centro Oeste do país.

                                           Fonte: http://www.climatempo.com.br


Previsão do Tempo para Campo Grande - MS

Sexta-Feira, 13/07
Nascer do sol:06h14Pôr do sol:17h15
  • Manhã
  • Tarde
  • Noite
  • Max 20ºMin 
  • 0mm
    0%
  • ESE
    11km/h
  • 85%31%
Sol o dia todo sem nuvens no céu. Noite de tempo aberto ainda sem nuvens.
Fases da Lua
Minguante
10/07
Nova
19/07
Crescente
26/07
Cheia
02/08
Estações do Ano
Primavera
22/09
Verão
21/12
Outono
20/03
Inverno
20/06

Cotações de 13/07/2012 - MS





 MS

R$ 86,00Boi Gordo - @
R$ 77,00Vaca Gorda - @
R$ 21,50Milho - sc 60kg
R$ 71,50Soja - sc 60kg
Fonte:

quinta-feira, 12 de julho de 2012

12.454 HEC, 10.000 ABERTO, 8.000 EM SOJA, PRIMAVERA DO LESTE MT
















LUCAS DO RIO VERDE MT.12.07.2012
ESTAMOS DIRETO COM O PROPRIETARIO


FAZENDA EM EMPRESA JURIDICA. S.A.
A 07KM DO ASFALTO

TEM MAIS 6.000 HEC LIGADOS
DE AREAS DE PLANTIO DE FAZENDAS VIZINHAS QUE TAMBEM VENDEM.


ÁREA TOTAL:


· 12.454,58 hectares total

o 8.044,83 hectares lavoura

o 1.989,77hectares pasto (área agricultável)

o 2.419.98 hectares reserva
LOCALIZAÇÃO:
Distancia de 25 km da cidade de Primavera do Leste – MT (SENDO 18 KM DE ASFALTO E 7 KM DE ESTRADA DE CHÃO)
Distancia de 230 km de Cuiabá – MT, capital do Estado.
Distanciade150 km de Rondonópolis–MT “Ferrovia”.

CARACTERÍSTICAS DA REGIÃO:
Altitude: 680 mts
Topografia: PLANA com pequena ondulação beira dos rios
Nível de chuva: 2.200ml (ano)
Características do solo: Latossolo argiloso e latossolo argiloso arenoso totalmente corrigido para lavoura.

DOCUMENTAÇÃO:
Escrituras registradas no cartório (ok)
Matrículas registradas no cartório (ok)
Licença ambiental (LAU) (ok)
Georeferenciamento protocolado no INCRA aguardando certificação (ok)
Reserva legal averbada junto à escritura de 20%. (ok)

SUINOCULTURA
Criação de 9.000 cabeças das qual são 800 matrizes. Capacidade de abate semanal de 800 cabeças um total de 3.000 ao mês Fabrica de ração própria

PECUÁRIA
Com uma área de 1.989,77ha de pasto corrigido que matem a media de 5.000 cabeças a pasto e um confinamento de 3.000 cabeças sua alimentação é produzida na própria fazenda através de uma fabrica de ração e silagem.
AGRICULTURA.
Área de plantio de 8.044,83ha de safra normal
Área de 5.000ha de safrinha (milho e sorgo).
Média dos últimos anos Soja 64sc/há
Milho safrinha 85sc/há Sorgo 65sc/ha.

OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES:
Duas safras anuais, sendo a safra principal nos meses de outubro a março com o plantio das principais culturas que são a soja e algodão e a segunda safra, (safrinha) nos meses de fevereiro a julho com as culturas de milho, sorgo e girassol.




EDIFÍCIOS, CASAS, BENFEITORIAS.
Casa sede com 200 m² de área de construção em alvenaria coberta com telhas francesas, piso de tabuas, 3 suítes, sendo uma com hidromassagem, sala de TV, cozinha, banheiro social,lavanderia e terraço.

6 casas com 77,6 m² de área de construção em alvenaria, cobertas com telhas francesas,piso de cimento/vermelho de 2 quartos, cozinha, banheiro, área de serviço e terraço construídas em vilas planejadas.

12 casas com 54,6 m² de área de construção em alvenaria cobertas com telhas francesas, piso de cimento/vermelho de 2 quartos, cozinha, banheiro, área de serviço e terraço construída em vilas planejadas.

6 casas com 77,6 m² de área de construção em alvenaria cobertas com telhas francesas, piso de cimento/vermelho de 3 quartos, cozinha, banheiro, área de serviço e terraço construída em vilas planejadas.

6 casas com 64,6 m² de área de construção em alvenaria cobertas com telhas de amianto, piso de cimento/vermelho de 2 quartos, cozinha, banheiro, área de serviço e terraço construída em vilas planejadas.
Um prédio para refeitório e cozinha com 250,25 m² de área de construção em alvenaria, coberto com telhas de amianto, cozinha, banheiro, piso de cimento/vermelho.

Um prédio de alojamento com 151,25 m² de área de construção em alvenaria coberto com telha de amianto, com 6 quartos, banheiro, lavanderia e varanda.

Um prédio para escritório e balança com 270,0 m² de construção em alvenaria coberto com telha de amianto, piso, ladrilho, uma copa com 6 salas e uma recepção.

Um hangar com 200 m² de área de construção em alvenaria coberto com telhas de chapa de zinco com divisão para garagem e depósito de defensivos.

Um prédio escola com 180,10 m² de área de construção em alvenaria com telhas de amianto, piso de cimento/vermelho com 4 banheiros, 4 salas.

Um galpa garagem para máquinas e equipamentos com 1.600 m² com estrutura de pilares e vigas de concreto e metálicas, piso de terra, coberto com telhas de chapas zincadas.

Um prédio para oficina com 1.000 m² em estrutura metálica em arco até o piso, fechada e coberta com chapas zincadas.

Um prédio com 1.260 m² em alvenaria e coberto com chapas de zinco para depósito e fábrica de ração para bovinos.

Um galpão para fábrica de ração com 1.600 m² de construção em alvenaria, pé direito de 8 metros, piso concretado industrial, coberto com estufa metálica em arco de zinco.

Um armazém/socaderos com 5.500 m² (30,0 z 186,0 m) em alvenaria, pé direito 6 m, concretado coberto com telhado de estrutura de zinco com 2 unidades de moegas de descarga.

Uma unidade de prédios de suinoculturas com 9 barracões em alvenaria, piso industrial, coberto com telhas de amianto, divisões para a maternidade, gestação, partos, creches, engorda e reprodutores com corredores com muros ligando os galpões, com embacardores e escritório almoxarifado, banheiros e vestiários com área de isolamento, sistema de separação, bombeamento de esterco, com área construída de 8.230,0 m².

3 currais com 2.300 m² troco-completo coberto com telhas de amianto, broto, 2 balanças com gradil embarcador.

Rede hidráulica de água potável, com rede ligando todas as instalações, com caixa d’água (poço artesiano).

Rede de energia elétrica, barragem, canal, 20 turbinas.

12 represas/açudes.

102.000 metros de cerca, construídas em lascas e palanques de madeira de itauba com 6 fios de arame liso.

2 silos com capacidade para 20.000 sacas de soja construídos com chapa de zinco, com base estacamento de concreto, sistema de seração, termometria com 4 pentes, elevador para carga e descarga, capacidade de 20 ton/hora e rosca varredura.

2 silos com capacidade para 15.000 sacas de soja construído em alvenaria e base de concreto, sistema de seração, termometria com 3 pentes, elevador para carga e descarga capacidade de 20 ton/hora.

Fábrica de ração com capacidade para 6 ton/hora com misturador de 1.000 kg, balança paraz 1.000 kg, triturador com motor de 25 CV, 3 silos com capacidade para 10 ton, 3 talhas para depósito de grãos, 6 elevadores, 5 roscas transportadora, 1 balança ensacadora e quadro de comando com conversão de sida pra 380 KVA.

Obs.

Mandar Carta de Intenção de Compra da Fazenda para 1ª reunião.





Valor da área porteira aberta:
450 sacas de soja por hectare.
Tratativas comerciais no email: mattos-jm@bol.com.br

PREVISÃO DO TEMPO - Centro oeste do país


                        Fonte: www.climatempo.com.br

Tempo para Campo Grande - MS

Quinta-Feira, 12/07
Nascer do sol:06h14Pôr do sol:17h15
  • Manhã
  • Tarde
  • Noite
  • Max 24ºMin 19º
  • 3mm
    80%
  • WSW
    8km/h
  • 99%59%
Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer 
Fases da Luahttp://www.climatempo.com.br

Minguante
10/07

Nova
19/07

Crescente
26/07

Cheia
02/08

quarta-feira, 11 de julho de 2012

MP do Código Florestal: ruralistas querem redução de faixa de mata ciliar a recuperar e podem obstruir votação




O relatório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) à Medida Provisória 571/12, que complementa o novo Código Florestal (Lei 12.651/12), traz soluções para pontos polêmicos. O texto será formalmente apresentado ainda na manhã desta quarta, mas ruralistas poderão obstruir a votação na comissão especial que analisa a matéria. A reunião será realizada no Plenário 6 do Senado.

A leitura do relatório, prevista para essa terça, dia 10, foi adiada porque as negociações com o governo se estenderam até o início da tarde. O senador Luiz Henrique decidiu manter no texto a exigência de recuperação de 20 metros de mata ciliar nas médias propriedades, de 4 a 10 módulos fiscais.

Os ruralistas querem a redução dessa faixa para 15 metros, mas o relator concordou apenas que ela não poderá ocupar mais do que 25% da propriedade.

Reserva legal
Já em relação à Amazônia, onde as propriedades são obrigadas a manter 80% de reserva legal, Luiz Henrique apresentou uma nova solução para não inviabilizar a produção agropecuária.

– O proprietário de um imóvel na Amazônia tem direito a ocupar 20%. Quando a soma da Reserva Legal e da Área de Preservação Permanente (APP) ultrapassar esse limite, evidentemente que se deve ter um tratamento especial, e cada caso vai ser examinado pelo Conselho de Meio Ambiente (estadual) – explicou.

Quanto ao pousio, que é o descanso necessário às terras cultiváveis, foi fixado o prazo máximo de 5 anos em até 25% da área produtiva. O relator acredita ter avançado no acordo.

– O entendimento está 95% feito. Vamos ver em que dispositivos ainda se aferram os líderes da Frente Parlamentar da Agropecuária. Tudo o que eu coloquei tem acordo com o governo – afirmou.

Obstrução
Os ruralistas ainda analisam o texto e não descartam obstruir a reunião desta quarta, dia 11, caso ainda detectem prejuízos para o setor. O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, o deputado Homero Pereira (PSD-MG), tem críticas ao relatório e quer mais negociações com o governo.

Em sua avaliação, o texto ainda traz muita insegurança jurídica.

– Não adianta a gente fazer um texto que não vai ser aplicado na prática. Ao se exigir que um médio produtor deixe 20 metros de APP, dificilmente vamos conseguir que isso se materialize na prática. Quanto ao pousio, não aceitamos que se tenha prejuízo em 75% da área para deixar em pousio apenas 25% dessa área. Isso aí, do ponto de vista técnico, não tem a menor sustentação – disse.

Já o presidente da comissão especial, deputado Bohn Gass (PT-RS), disse estar preocupado com o prazo curto para a apreciação da matéria, sobretudo em meio ao período eleitoral do segundo semestre.

– A ideia é votarmos nesta semana [na comissão] para termos as sessões de agosto e setembro para apreciarmos na Câmara e no Senado, porque negar esta votação neste momento é apostar na insegurança jurídica – alertou.

A MP do Código Florestal perde a validade no dia 8 de outubro.

Fonte: http://pecuaria.ruralbr.com.br

Cotações de 11/07/2012 - MS




 MS

R$ 87,00Boi Gordo - @
R$ 77,00Vaca Gorda - @
R$ 20,50Milho - sc 60kg
R$ 72,00Soja - sc 60kg
Fonte: 

terça-feira, 10 de julho de 2012

Plano Safra 2012/13 tem 18% a mais de recursos para MS





Os recursos do Plano Safra 2012/13 do Banco do Brasil para Mato Grosso do Sul tiveram aumento de 18%, saindo de R$ 2,25 bilhões para R$ 2,66 bilhões. O anúncio foi feito hoje (9) em Campo Grande (MS). O aumento em percentual é superior ao anunciado para todo o País, pois os R$ 18 bilhões de crédito significam acréscimo de 12,5% em relação à safra passada.



“O total liberado em Mato Grosso do Sul para o agronegócio cresceu cerca de 35% na safra 2011/2012. Isso representa um grande salto no Estado e justifica um aumento substancial de recursos a cada ano”, afirma Fábio Euzébio, superintendente do Banco do Brasil no Estado. Para a secretária de Produção e Turismo (Seprotur), o anúncio do plano no início da safra é um ganho para o Estado. “O que acontece é um alinhamento entre as instituições financeiras e o produtor rural, que tem, no início da safra, os recursos que precisa para investir de forma mais efetiva”, diz Tereza Cristina.



Os recursos destinados ao Programa de Agricultura Familiar (Pronaf) são de R$ 139,5 milhões, o que representa um incremento de 20% em relação à safra passada que destinou aos pequenos produtores o montante de R$ 115,9 milhões. Outra medida foi a ampliação do teto de contratação que saiu de R$ 50 mil para R$ 80 mil. A taxa anual de juros caiu 0,5%, calculada entre 1,5% a 4%, sendo que no ano anterior a taxa chegava a 4,5%. As associações e cooperativas que se enquadram no Pronaf também foram beneficiadas com o novo plano. O limite de financiamento, antes de R$ 10 milhões, salta para R$ 30 milhões.
Fonte: Sato Comunicação

Região Centro Oeste ->Acompanhe a previsão para o Centro Oeste do país. 10/07/2012

                                               Fonte:  http://www.climatempo.com.br

segunda-feira, 9 de julho de 2012

BOI GORDO: Com a pressão de sexta-feira, compras não fluem nos valores menores





O cenário dos últimos dias se mantém, com as ofertas de compra de R$90,00/@ até R$94,00/@, à vista, em São Paulo.
Fora isso, há a habitual pressão de sexta-feira, com tentativas de emplacar preços menores com maior frequência. Nos valores menores as compras não fluem e a especulação predomina.

A escala média de abate no estado atende entre quatro e cinco dias úteis.Na visão geral do levantamento houve quedas em algumas praças pecuárias, o que comprova que a pressão baixista ainda paira no mercado. Os recuos ocorreram em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Tocantins e Rondônia.

Referência estável para o mercado atacadista de carne com osso. A demanda fraca e as tentativas de preços menores fazem com que boa parte das indústrias prefiram vender a carne desossada, ao invés de carne com osso.


Fonte: Scot Consultoria

Previsão do Tempo 09/07/2012

SATÉLITE BRASIL


Uma frente fria avança sobre o litoral do ES e deixa o tempo instável no Estado. Chove fraco por causa da umidade que chega do mar também no leste de MG e no RJ. Ar seco polar cobre o Sul do país e deixa a temperatura bastante baixa. Tempo seco também no Centro-Oeste, interior do Sudeste, no sul da Região Norte e no interior do Nordeste. Nuvens que chegam do mar provocam pancadas de chuva em toda a faixa litorânea nesta segunda-feira. Pancadas de chuva ocorrem também em RR, AP, norte do AM e PA.

Previsão do Tempo para Campo Grande - MS

Segunda-Feira, 09/07
Nascer do sol:06h14Pôr do sol:17h14
  • Manhã
  • Tarde
  • Noite
  • Max 24ºMin 13º
  • 0mm
    0%
  • ESE
    11km/h
  • 89%59%
Sol com algumas nuvens. Não chove.
Fases da Lua
Cheia
03/07
Minguante
10/07
Nova
19/07
Crescente
26/07

Cotações de 09/07/2012 - MS





 MS

R$ 87,00Boi Gordo - @
R$ 77,00Vaca Gorda - @
R$ 20,50Milho - sc 60kg
R$ 72,00Soja - sc 60kg
Fonte: