quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Exportação de gado vivo deve fechar 2012 com alta de 10%






Quantidade de animais vendidos pode chegar a 530 mil



A exportação de gado vivo no Brasil em 2012 deve ser maior do que o volume registrado no ano passado. Os números de dezembro ainda não foram divulgados, mas a expectativa é de que a quantidade de animais vendidos para o exterior chegue a 530 mil, 10% mais do que em 2011.

O principal destino das vendas continua sendo a Venezuela, que só em 2012 comprou do Brasil quase 350 mil animais, 80% de tudo que foi vendido. Os embarques acontecem no Porto de Vila do Conde, a 110 km de Belém do Pará. O Oriente Médio é outro importante destino deste tipo de exportação relativamente novo, que teve inicio em 2003.

— Esta atividade de exportação de gado vem crescendo e agora com o quantitativo de 2012 a gente vai atingir um patamar de 20% em relação ao aumento do que embarcou em 2011 — afirma o administrador interino do Porto Vila do Conde, Aníbal Dias.

Até novembro, dados já confirmados mostram que 465 mil animais foram comercializados para o exterior. O volume total é 10% superior ao que foi registrado em 2011. A receita com as vendas chega a US$ 550 milhões, aumento de 20%.

— A cada ano a gente vai aumentando. O porto hoje tem quatro píers, com oito berços operacionais. A gente concluiu a obra de alargamento dos nossos berços e construção de um píer novo, ponte de acesso. É uma estrurtura muito boa para poder aguardar esta demanda cada vez maior para todo tipo de carga, inclusive carga viva — explica o administrador.



Fonte: CANAL RURAL

Produção de leite deve ser menor na primeira metade de 2013, indica Rabobank




Para o Brasil, banco estima incremento de 1,5% na produção de leite no primeiro semestre do ano



O Rabobank prevê que o crescimento da produção de leite será menor nos principais países exportadores no primeiro semestre de 2013 em relação a igual período de 2012, em razão da demanda pelo produto ainda enfraquecida. No entanto, o banco pondera que qualquer aumento do consumo será suficiente para apertar os estoques que, atualmente, estão em níveis adequados para evitar um desabastecimento.

O banco observa ainda que os preços internacionais do leite continuaram a sua lenta recuperação ao longo do quarto trimestre de 2012, embora com bem menos força. Entre outubro e dezembro, a valorização chega a até 5%.

Especificamente para os Estados Unidos, o Rabobank projeta um crescimento de produção 0,9% menor no primeiro semestre do ano que vem na comparação com 2012, reduzindo a participação do país no mercado global de leite, principalmente de leite em pó. A instituição salienta também que o mau desempenho do setor norte-americano pode baixar os preços internacionais do alimento, diminuindo ainda mais a rentabilidade dos produtores em todo o mundo.

No caso do Brasil, o Rabobank estima um incremento de produção de 1,5% na primeira metade de 2013, mas reafirma que os produtores ainda devem sofrer com os preços elevados dos insumos. Já para a Argentina, a produção de leite deve aumentar de 1% a 2% no primeiro semestre do ano que vem.


Fonte:
Agência Estado