sábado, 19 de janeiro de 2013

TEMPO PARA 20/01/2013

video
                                                       Fonte: www.climatempo.com.br

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Previsão do tempo para 18/01/2013



Região Centro-Oeste

Áreas de instabilidade se intensificam sobre o Centro-Oeste. Todas as áreas da Região têm muitas nuvens, períodos com sol e pancada de chuva a qualquer momento, que pode ser forte. No sul de GO, o céu fica nublado e o risco de temporal é alto.

Fonte:www.agron.com.br

Área plantada de soja cresce 11% em MS




Levantamento do Projeto de Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga/MS), do Sistema Famasul, apontou que a área plantada de soja, em Mato Grosso do Sul, teve aumento de 11%. A área saltou de 1,8 milhão de hectares para 2,1 milhões de hectares. As informações foram divulgas nesta quarta-feira (18) durante abertura oficial da colheita da soja, realizada em Bandeirantes.

A perspectiva de safra recorde se mantém mesmo com a chuva um pouco abaixo da média neste período, em algumas regiões. Na safra atual, a produção da soja deve atingir 6 milhões de toneladas, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Isso significa um incremento de 30,7% se comparado aos 4,6 milhões de toneladas colhidas na safra passada. A produtividade também deve aumentar 17,6%, saindo de 2,5 toneladas por hectare para 3 toneladas por hectare.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul), Eduardo Riedel, destacou a desvantagem do estado em função da logística de escoamento de grãos, que segue a rota dos portos de Santos ou Paranaguá. “O crescimento da safra vai pressionar por mais infraestrutura de transporte e armazenagem”, avaliou o dirigente durante a abertura da colheita.

O preço da saca da soja também é animador, além da alta produção e produtividade. O valor pago pela saca de 60 quilos hoje varia de R$ 53 a R$ 57 no Estado. Ano passado, o preço médio pago ao produtor era de R$ 42 no mesmo período. Entretanto, cerca de 45% dos produtores sul-mato-grossenses realizaram a venda antecipada da soja, a preços mais baixos.

“Com a estiagem norte-americana na safra passada, o mercado melhorou significativamente para o produtor brasileiro. O preço da saca também está valorizado devido à queda na produtividade dos Estados Unidos”, avaliou o presidente da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), Almir Dalpasquale.

A Aprosoja realizou a abertura da colheita na Fazenda Bom Jesus, às margens da BR-060, em Bandeirantes. A assessoria da Famasul informou que a fazenda representa uma das propriedades que cultivam soja super precoce, de ciclo mais curto e plantada logo após o término do vazio sanitário, e que, por isso, inicia a colheita esta semana. Ao todo, menos de 10% da safra no Estado tem a mesma situação.

De acordo com levantamentos do Siga/MS, 72% das lavouras do Estado estão em fase de floração e 32% em enchimento de grãos, com início de colheita previsto para 25 de janeiro. De maneira geral, o centro-oeste está com 84% da soja em floração e 41% em enchimento.



Fonte: www.capitalnews.com.br

Beneficiários do FCO em MS chegaram a 15 mil em 2012





MS volta a bater recorde em valor e volume de operações pelo terceiro ano consecutivo – Conselheiros retomam analise de projetos dia 23 durante primeira reunião do ano – FCO tem juros fixados entre 3% e 3,5% para 2013

Mato Grosso do Sul superou R$ 1,4 bilhão em projetos de financiamento deliberados no ano passado, alcançando novo recorde em valor e volume de operações com cerca de 15 mil beneficiários, demonstrando o alcance econômico e social do Fundo. Em 2011 os investimentos somaram R$ 1,1 bilhão com 14.767 operações contratados.

Para 2013 o Conselho Deliberativo do FCO (Condel/FCO) anunciou recursos de aproximadamente R$ 5,4 bilhões para o Centro-Oeste. Desse volume, Mato Grosso do Sul prevê um orçamento de R$ 1,2 bilhão existindo já uma demanda significativa em tramitação, em continuidade aos trabalhos do Fundo.

Conforme calendário de reuniões estabelecido pelo Conselho Estadual (CEIF/FCO), o primeiro encontro acontece na próxima quarta-feira (23), a partir das 8h30 na sala de reuniões da Secretaria de Produção (Seprotur). Na ocasião as instituições repassadoras de recursos do Fundo irão apresentar um relatório de desempenho detalhado das contratações realizadas em 2012.

BALANÇO 2012

A atividade rural absorveu maior parcela dos recursos contratados em 2012 em virtude do bom momento em que vive o setor em relação aos preços das commodities agrícolas. Os investimentos se concentraram na ampliação e modernização do parque de máquinas, na correção de solo e recuperação de pastagens (Programa ABC), na ampliação da rede armazenadora, na expansão e consolidação de projetos do setor sucroalcooleiro, na implantação de novas áreas de floresta e na modernização do setor avícola estadual. As aplicações dos recursos do Pronaf/FCO também apresentaram crescimento proporcional, beneficiando assim esse estratégico setor da agricultura familiar.

A indústria estadual consolidou no mesmo período o parque sucroalcooleiro na Região Centro Sul, com destaque para os municípios de Nova alvorada, Rio Brilhante, Ivinhema, Caarapó, e Batayporã. Houve também apoio financeiro para uma maior diversificação das atividades, com interiorização dos recursos, beneficiando as diversas regiões de Mato Grosso do Sul. Dessa forma o FCO beneficiou indústrias que estão aproveitando produtos e subprodutos dos setores primários e secundários.

JUROS FCO 2013

O Conselho Monetário Nacional aprovou dia 7 passado os juros a serem praticados pelos Fundos Constitucionais neste ano. Foi fixada para o 1º semestre a taxa de 3,53% e de 4,12% para o 2º semestre, sendo as taxas com concessão de bônus de adimplência reduzidas para 3% e 3,5%, respectivamente.

Os valores se aplicam tanto nas operações rurais quanto empresariais, podendo ser concedidas para as operações de investimento, custeio e giro associados. Para as operações de custeio e giro isolados, permanecem as taxas praticadas até 30 de setembro de 2012 – variando entre 5,25% e 8,5%, dependendo do porte do empreendedor da empresarial (sendo considerada a variável com bônus de adimplência).


Fonte: SEPROTUR

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Embrapa lança duas cultivares de capim-elefante



Foram lançadas em 2012 pela Embrapa e parceiros duas cultivares de capim-elefante: BRS Canará e BRS Kurumi. A primeira é indicada para alimentação animal sob forma de capineira (área cultivada com gramíneas). Já a BRS Kurumi é indicada para pastejo direto por bovinos.

O desenvolvimento dessas duas cultivares forrageiras de capim-elefante teve a participação da Embrapa Cerrados, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A Unidade, localizada em Planaltina (DF), desenvolve, desde 1997, avaliações de genótipos de capim-elefante obtidos pelo programa de melhoramento genético da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora, MG), por meio da Rede Nacional de Avaliação de Capim Elefante (Renace). A rede integra instituições de pesquisa em 16 estados brasileiros.

“O trabalho de melhoramento genético da espécie busca oferecer alternativas de cultivares melhoradas de forrageiras tropicais para os pecuaristas brasileiros”, afirma o pesquisador da Embrapa Cerrados Francisco Duarte. Também participaram desse trabalho os pesquisadores Allan Ramos, Roberto Guimarães, Giovanna Maciel, Geraldo Martha, Gustavo Braga e Marcelo Ayres.

A BRS Canará foi lançada oficialmente no final de novembro, em Cáceres (MT), em conjunto com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Já a BRS Kurumi foi lançada em outubro, numa parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, a Universidade Estadual do Norte Fluminense e a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. Mudas dessas cultivares podem ser obtidas nas unidades e parceiros que participaram dos lançamentos.

BRS Canará – apresenta porte alto, touceiras de formato semiaberto, folha de cor verde, bainha verde-amarelada e colmo de diâmetro médio. Possui propagação vegetativa por meio de estacas e é indicada para uso como capineira nos biomas Amazônia e Cerrado. Apresenta alta produtividade de forragem e é um importante recurso de baixo custo para intensificação da produção animal durante a época chuvosa. Também pode ser utilizada na produção de silagem para fornecimento de alimento durante a época seca do ano.

BRS Kurumi – apresenta touceiras de formato semiaberto, folha e colmo de cor verde e internódio curto. Apresenta crescimento vegetativo vigoroso com rápida expansão foliar, intenso perfilhamento e porte baixo. Também possui propagação vegetativa por meio de estacas e é indicada para uso forrageiro nos biomas Mata Atlântica, Amazônia e Cerrado. Possui alto potencial de produção de forragem com excelentes características nutricionais e facilidade de manejo devido ao seu porte baixo.

Fonte: Embrapa e resumido pelo blogueiro.

Como a safra recorde de grãos estimada influenciará os custos de produção da pecuária em 2013?



O Brasil deve colher uma safra de grãos recorde em 2013, de acordo com o 4º levanmento realizado pela Conab entre os dias 10 e 14 de dezembro/12. Está prevista uma produção de 180,4 milhões de toneladas, superando em 14,2 milhões de toneladas a safra 2011/12.
Esse desempenho positivo depende fundamentalmente de boas condições climáticas, uma vez que as principais lavouras de verão encontram-se em fase de desenvolvimento e floração. A previsão para a área plantada é de 52,0 milhões de ha, o que representa uma expansão de 1,1 milhão de ha sobre a safra passada, puxada principalmente pelo avanço da soja sobre as áreas de algodão e milho verão.
A soja também é destaque na produção, com um crescimento de aproximadamente 16 milhões de toneladas em comparação à safra 2011/12, que registrou forte quebra em razão dos problemas climáticos que atingiram importantes regiões produtoras.
Milho
A lavoura de milho plantada na safra brasileira de verão, com exceção dos estados de São Paulo, Bahia e Distrito Federal, perdeu espaço para a soja em todos os estados onde ocorreu a competição por área. O quarto levantamento da safra 2012/13, aponta para uma redução de 5,7%, saindo de 7.558,5 hectares ocorridos no exercício 2011/12, para 7.124,0 hectares na atual temporada.
A produção nacional de milho para a safra de verão tem previsão de atingir 34.730,6 mil toneladas, representando um incremento de 2,5%, comparado com o exercício anterior.
Soja
Com o plantio encerrado em dezembro/12, a quarta pesquisa da safra 2012/13 indica uma área de plantio em 27,35 milhões de hectares. Este resultado corresponde a um crescimento de 9,2%, ou 2,3 milhões de hectares superior à safra 2011/12, quando foram cultivados 25,04 milhões de hectares, constituindo-se na maior área cultivada com a oleaginosa.
A produção nacional, estimada em 82,68 milhões de toneladas, também recorde, é 24,5%, ou 16,3 milhões hectares superior ao volume colhido na safra anterior. Para a produtividade (quilos por hectare), foi adotada, ainda, a média dos últimos três anos, descartando-se as safras atípicas e adicionando o avanço tecnológico, exceção nos Estados da região Centro-Oeste, da Bahia e do Rio Grande do Sul, onde aslavouras estão em estágios mais avançados, nestas regiões foram adotadas as produtividades obtidas na pesquisa de campo.
Confirmando-se a área prevista e as condições climáticas favoráveis às lavouras, o que vem acontecendo até o momento, a produção poderá ser superior ao total estimado.
Fonte: FIESP/Deagro, Conab.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Valor de produção de lavouras deve atingir R$ 305,3 bi em 2013




O Valor Bruto da Produção (VBP) das principais lavouras do país deve atingir R$ 305, 3 bilhões neste ano, o que representa um acréscimo de 26,3% sobre 2012. Os cálculos – feitos pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – são elaborados a partir dos levantamentos apresentados em janeiro pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Esse resultado se deve em grande parte ao valor da produção de soja, que combina safra elevada e preços altos”, afirmou o coordenador de Planejamento Estratégico da AGE do Mapa, José Garcia Gasques. Em 2013, a soja representará 34% do valor da produção das lavouras pesquisadas.

Este ano, aliás, a maioria dos produtos deve obter melhores resultados do que em 2012. Com exceção de algodão e café, todos os demais apresentam aumentos expressivos no valor da produção. “Os preços agrícolas favoráveis e as expectativas de maior produção conduzem a esse resultado neste ano”, explicou Gasques.

Após a soja, os maiores destaques são: tomate, 72,0%; laranja, 70,9%; maçã, 36,3%; feijão, 31,6%; cebola, 31,2%; trigo, 25,8% e milho, 22,3%. Em níveis pouco mais abaixo destes encontram-se o arroz, batata inglesa, cana-de-açúcar e fumo.

Nas estatísticas regionais do VBP de 2012, o Centro-Oeste obteve alta de 34,9%, seguido de resultados positivos do Nordeste (13,6%) e Norte (12,4%). Sul e Sudeste apresentaram variações negativas, de 1,8% e 4,5%, respectivamente.

Ainda de acordo com Gasques, as secas no Sul prejudicaram bastante os resultados do ano, principalmente no Rio Grande do Sul. “No Nordeste, a seca também afetou vários estados, mas ainda assim a região obteve resultados positivos quanto ao valor da produção”.
Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Cotações & clima de 14/01/2013 - MS


MS

R$ 92,00Boi Gordo - @
R$ 84,00Vaca Gorda - @
R$ 25,00Milho - sc 60kg
R$ 53,50Soja - sc 60kg
Fonte:

                                                                            REGIÃO CENTRO OESTE

Áreas de instabilidade continuam sobre o Centro-Oeste. Em MT e no centro-sul de GO, chove em grande parte do dia. Há risco de chuva forte e volumosa. Não chove no sul do MS. O restante da Região tem períodos de sol e pancadas de chuva.

Tempo para a capital,  Campo Grande - MS

Segunda-Feira, 14/01
Nascer do sol:07h10Pôr do sol:20h25
  • Manhã
  • Tarde
  • Noite
  • Max 30ºMin 20º
  • 28mm
    80%
  • N
    11km/h
  • 94%62%
Índice UV: Alto
Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.Fonte: www.climatempo.com.br