terça-feira, 2 de julho de 2013

COMUNICADO SOBRE PATERNIDADES EM TOUROS DA RAÇA NELORE



A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, através de sua Superintendência Técnica, após reunião realizada em 26 de junho de 2013 com a Coordenação de Produção Integrada e Pecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, comunica que:

Todos os procedimentos de verificação das suspeitas de paternidades incorretas dos 12 touros, apontadas no estudo conduzido pela Conexão Pecuária para o Melhoramento Genético, UNESP de Araçatuba e UNESP de Jaboticabal, serão conduzidos pelo MAPA com auxílio da SSRGRZ – Superintendência do Serviço de Registro Genealógico das Raças Zebuínas da ABCZ. As deliberações do Conselho Deliberativo Técnico das Raças Zebuínas, tomadas em sua reunião de 12 de junho de 2013 serão avaliadas pelo MAPA para implementação das ações que o caso requer. Deliberações:

1-Resultados esperados e possíveis soluções para os casos de suspeita de erros de paternidade em touros da raça nelore, conforme apontadas em estudos conduzidos pela Conexão para o Melhoramento Genético, Unesp de Araçatuba e Unesp de Jaboticabal, que foram deliberados pelo CDT e que estão sob análise do MAPA. Resultados esperados e possíveis soluções para os casos de suspeita de erros de paternidade em touros da raça nelore, conforme apontadas em estudos conduzidos pela Conexão para o Melhoramento Genético, Unesp de Araçatuba e Unesp de Jaboticabal, que foram deliberados pelo CDT e que estão sob análise do MAPA. 2-Se os testes de genotipagem demonstrarem incompatibilidade com o pai originalmente declarado ao SRGRZ e compatibilidade com outro reprodutor dentro das regras existentes no SRGRZ, modificam-se todas as informações no sistema e franqueia-se a troca dos documentos anteriormente emitidos.

3-Se os testes de genotipagem demonstrarem incompatibilidade com o pai originalmente declarado ao SRGRZ e não sendo possível a identificação de outro reprodutor ou; em se identificando novo pai, este for Procedimentos a serem adotados no caso específico de reprodutores da raça Nelore, inscritos no SRGRZ , cuja paternidade foi questionada em estudo conduzido pela Conexão para o Melhoramento Genético, Unesp de Araçatuba e Unesp de Jaboticabal, que realmente não se qualificaram com a paternidade declarada ao SRGRZ através de verificação de parentesco por exame de DNA e tampouco tiveram sua paternidade conhecida ou, se conhecida, incompatível com as regras do SRGRZ, assim como aos produtos declarados ao SRGRZ como seus descendentes diretos ou indiretos.

Os seguintes procedimentos serão aplicados:

1-Será eliminada a linha paterna do reprodutor em questão com manutenção da linha materna. 2-O reprodutor passa a ser considerado como Livro Aberto de primeira geração (LA1), mas terá garantido o direito de ser utilizado na seleção por tempo determinado. 3-Do acasalamento desse reprodutor (LA1) com fêmeas PO ou com LA de segunda geração (LA2) resulta produto igualmente Livro Aberto, mas de segunda geração (LA2). 4-O produto oriundo desse Livro Aberto (LA2) se acasalado com PO (Puro de Origem) ou com LA2 será PO. 5-Do acasalamento do reprodutor LA1 (que perdeu a paternidade) com fêmeas LA de fundação (LA1), resulta produto igualmente Livro Aberto, mas de segunda geração (LA2), não podendo os machos serem usados na seleção. Essas fêmeas LA2 acasaladas com touros PO ou LA1 (que era PO e perdeu a paternidade) darão origem a produtos PO. Se elas (as matrizes LA2), forem acasaladas com touros LA2 (que vieram da mesma solução proposta), darão origem a produtos LA2, cujos machos e fêmeas podem ser usados na seleção.

Os procedimentos aqui mencionados foram configurados de forma esquemática de forma a facilitar sua compreensão, e que são apresentados a seguir.
As amostras biológicas que serão usadas nos testes de verificação de paternidade serão colhidas sob a forma de coleta fiscal, pelo MAPA, através de um Fiscal Federal Agropecuário, e submetidas a análises de genotipagem em laboratórios oficiais. Cada um dos 12 processos envolvendo os respectivos touros será tratado individualmente e, somente após sua resolução completa, será trazido a público o que restar como verdadeiro e incontestável para que as devidas correções, caso existam, sejam procedidas junto ao SRGRZ. Todos os esforços serão feitos pelo MAPA e pela ABCZ para dar celeridade ao processo, sempre na observância dos princípios legais, éticos e de transparência.


Uma medida importante para tentar minimizar os efeitos de comunicação de paternidades incorretas é a proposta de exigência de verificação de parentesco por exame de DNA no momento de inscrição de doadores de sêmen em centrais de inseminação artificial.

Esta proposta foi recomendada pela ABCZ ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, integrando a relação de 34 propostas referendadas pelo Conselho Deliberativo Técnico, durante reunião realizada no dia 12 de junho, na sede da ABCZ, em Uberaba/MG. Todas as propostas aprovadas pelo conselho foram encaminhadas e estão, neste momento, sob análise do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Assim que forem avaliadas pelo MAPA, as propostas aprovadas começarão a vigorar. A ABCZ acredita que a exigência de verificação de parentesco por exame de DNA no momento de inscrição de doadores de sêmen em centrais de inseminação artificial é uma medida importante para evitar a difusão de possíveis erros, naqueles casos em que o uso de um reprodutor será ampliado potencialmente para toda a população de uma determinada raça.

Fonte: ABCZ, adaptado e reformulado pelo blogueiro

segunda-feira, 1 de julho de 2013

No Mato Grosso do Sul produtores de leite comemoram aumento da produtividade



Trinta produtores de leite do município de Inocência, em Mato Grosso do Sul, mais que dobraram sua produtividade em apenas um ano. Eles participam do programa Mais Inovação, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MS), que tem entre seus principais objetivos a recuperação de pastagens degradadas e a inserção de novas tecnologias na administração da propriedade rural.

– Há um ano a produção da minha propriedade era de 80 litros de leite por dia e hoje, após a recuperação e melhoria das pastagens, chego a registrar 250 litros ao dia – relata o produtor rural Diorande Leal, um dos participantes do programa.

Além do aumento da produtividade, os produtores também tem conseguido aumentar a lotação das pastagens, de 0,5 cabeça por hectare para de 1,5 a duas cabeças. Criado em junho de 2012, o programa está se expandindo para outras regiões de Mato Grosso do Sul, chegando aos municípios de Caracol, Bela Vista, Campo Grande e região, Rio Verde, Anastácio, Figueirão e Alcinópolis.

– O objetivo do SENAR é colaborar para que os produtores melhorem as condições de trabalho, conheçam as tecnologias disponíveis para melhorar a gestão e para que ampliem as possibilidades de desenvolvimento de sua propriedade e da região – diz o diretor técnico do Sistema do Senar, Clodoaldo Martins.

Em abril deste ano, o Mais Inovação ganhou reconhecimento da Subsecretaria de Desenvolvimento Sustentável do Governo Federal, como iniciativa que atende às normas das Boas Práticas Agropecuárias (BPA).

Fonte:SENAR-MS adaptado e resumido pelo blogueiro

Previsão & cotações Agropecuárias MS de 01/07/2013

video
                                          Fonte:climatempo

Cotações de  - MS

R$ 92,00Boi gordo
R$ 86,00Vaca gorda
R$ 19,50Milho - sc 60kg
R$ 59,00Soja - sc 60kg

Fonte:

domingo, 30 de junho de 2013

Paternidade de 29 touros é investigada, além de Backup



A pecuária de produção brasileira recebeu, nesta semana, a notícia de que a paternidade de touros importantes para genética está sendo investigada. Através de testes de genotipagem, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) constataram que o nelore Backup, recordista em comercialização de sêmen no Brasil (600 mil doses e mais de 15 mil filhos) pode não ser filho de Fajardo da GB, como consta no registro oficial do animal. O material genético de outros 29 touros, que não tiveram os nomes divulgados, estão sendo analisados.

– Para efeito de melhoramento genético [a constatação] não altera nada. O Backup tem milhares de filhos avaliados. Com tamanha amostra, a influência do pai dele na sua produção é mínima – afirma o gerente do Departamento de Corte da Central de Inseminação da CRV Lagoa, Marcelo Almeida.

O pecuarista Luis Humberto Guimarães, que há mais de sete anos utiliza sêmen do Backup para inseminar as vacas de sua propriedade, concorda que as dúvidas sobre a paternidade do animal não interferem na confiança que ele tem nos resultados do reprodutor.

Antes de Backup completar 1 ano e meio, ele já tinha sêmen à venda. Agora, com quase 13 anos, é recordista da raça nelore e de todas as raças zebuínas no Brasil e no mundo em produção. Considerando que o touro possui cerca de mais três anos de vida produtiva, a marca deve ser aumentada em, pelo menos, 150 mil doses. O reprodutor é fruto de inseminação artificial, o que leva Almeida a acreditar em erro não-intencional na informação do acasalamento que deu origem ao touro.





– Ninguém poderia prever que esse animal seria um touro líder de mercado, líder de vendas. Então, eu não acredito na hipótese de fraude, justamente por conta dessa informação – acrescenta o gerente.



Segundo ele, assim que a empresa recebeu os resultados dos testes que apresentavam inconsistências no parentesco dos touros, no início do mês de maio, a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) foi informada. Dos 30 touros sob suspeita, 15 são puros de origem.

No dia 2 de maio, a ABCZ divulgou uma nota informando que iria estabelecer um plano de trabalho para esclarecer as dúvidas referentes aos 15 touros puros de origem registrados pela associação. O plano foi submetido à avaliação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e a decisão deve sair ainda essa semana. Esse foi o posicionamento oficial da ABCZ mesmo depois da divulgação do nome do touro Backup.

As primeiras especulações sobre o nome do verdadeiro pai de Backup já começaram a aparecer. A mais forte é de que ele seja filho de Gabinete do IZ, o que, segundo o pecuarista Guimarães, não seria ruim para futuros acasalamentos.

Fonte: CANAL RURAL adaptado e resumido pelo blogueiro