sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Vendas ruins, entretanto preços da carne se mantêm firmes


Apesar dos relatos de vendas ruins, o mercado atacadista de carne bovina sem osso de São Paulo ficou estável no acumulado dos últimos sete dias. Os abates cresceram significativamente em julho, com a desova final de boiadas de pasto, entrada de animais de cocho e de contratos a termo.
O consumo não evoluiu na mesma proporção. Considerando que a partir de agora a demanda tende a diminuir e, consequentemente, não há espaço para altas. Parte da estabilidade observada esta semana pode ser uma estratégia das empresas para conservar suas margens.

As vendas melhores são para cortes de dianteiro, o que demonstra que já há queda no poder de compra da população.

Os preços da carne são praticamente os mesmos de um mês atrás. Porém, na comparação anual, a carne é vendida por um valor 5,2% maior.

Com o recuo no preço da arroba do boi gordo, a estabilidade no mercado atacadista gerou efeito positivo. A margem de comercialização dos frigoríficos que desossam chegou aos 22,0%, a maior desde o final de maio.


Fonte:Scot Consultoria


Siga IMOVEI$ RURAI$ OPORTUNIDADE$ & NEGÓCIO$ no twitter->@jlmmattos

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Indicadores do mercado do boi


Margem bruta, câmbio
O indicador Esalq/BM&FBovespa boi gordo à vista apresentou baixa de 0,13% nessa quarta-feira (14) sendo cotado a R$100,44/@. O indicador a prazo foi cotado em R$101,47.


                                                 Bezerro à vista x margem bruta
O indicador Esalq/BM&F Bezerro registrou valorização de 0,04%, cotado a R$805,66/cabeça nessa quarta-feira (14). A margem bruta na reposição foi de R$851,60 e teve desvalorização de 0,29%.


                                                   Boi gordo à vista em dólares e dólar
Na quarta-feira (14), o dólar valorizou 0,36% e foi cotado em R$2,31. O boi gordo em dólares registrou desvalorização de 0,49% sendo cotado a US$43,46. Verifique as variações ocorridas no gráfico acima.


                                           

                                      Fechamento do mercado futuro em 14/08/13

O contrato futuro do boi gordo para Set/13 teve desvalorização de R$0,01 e foi negociado a R$101,29.
                                                  Atacado da carne bovina


No atacado da carne bovina, o equivalente físico foi fechado a R$93,93. O spread (diferença) entre os valores da carne no atacado e do Indicador do boi gordo foi de -R$6,51 e com variação de -R$0,13 no dia.


Fonte: Esalq/BM&F. Bacen, intercarnes

Siga IMOVEI$ RURAI$ OPORTUNIDADE$ & NEGÓCIO$ no twitter->@jlmmattos

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Sobem 3,6% em julho as exportaçõs do agronegócio e chegam a US$ 9,3 bi



As exportações brasileiras do agronegócio, em julho deste ano, foram de US$ 9,3 bilhões. Esse montante representa incremento de 3,6% em relação ao mesmo período de 2012, quando as vendas do setor somaram US$ 8,98 bilhões. As importações aumentaram de US$ 1,22 bilhão para US$ 1,51 bilhão. Desta forma, o saldo da balança comercial do agronegócio foi positivo no período, de US$ 7,79 bilhões.

O principal setor exportador agrícola brasileiro no mês foi o complexo soja, responsável por 42,5% das exportações do agronegócio ou US$ 3,95 bilhões. Esse valor, quando comparado aos US$ 3,15 bilhões comercializados em julho de 2012, representou um crescimento de 25,6%. Logo em seguida, considerando-se o valor exportado, aparece o setor de carnes, com vendas totais de US$ 1,46 bilhão. O carro-chefe em vendas do setor foi a carne de frango, que gerou US$ 631 milhões em divisas (+20,7%).

Em referência às exportações do agronegócio brasileiro divididas por blocos econômicos, mais uma vez se destacou as vendas para o continente asiático, que cresceram a uma taxa de 14,6% e atingiram o montante de US$ 3,89 bilhões. Essa expansão possibilitou um aumento da participação nas vendas externas do agronegócio brasileiro de 4 pontos percentuais, passando de 37,8% em julho de 2012 para 41,8% em julho do ano corrente.

O segundo principal bloco de destino das exportações brasileiras no mês foi a União Europeia (UE-28), com o valor de US$ 2,26 bilhões e aumento de 7,5% em comparação a julho do ano anterior.
Resultado de janeiro a julho de 2013

Entre janeiro e julho de 2013, as exportações do agronegócio cresceram 9,5% e atingiram a cifra recorde de US$ 58,87 bilhões. Um aumento de US$ 5,12 bilhões em relação aos US$ 53,76 bilhões exportados no mesmo período de 2012.

Os cinco principais setores exportadores do agronegócio entre janeiro e julho de 2013 foram complexo soja (US$ 21,26 bilhões); carnes (US$ 9,59 bilhões); complexo sucroalcooleiro (US$ 7,42 bilhões); produtos florestais (US$ 5,49 bilhões) e cereais, farinhas e preparações (US$ 3,24 bilhões).

Fonte: Ministério da Agricultura

Siga IMOVEI$ RURAI$ OPORTUNIDADE$ & NEGÓCIO$ no twitter->@jlmmattos

Segundo analista de mercado preços do boi devem voltar a subir a médio prazo



Segundo informou o site ruralbr pecuária ontem (12/08) a queda nos preços do boi gordo, de acordo com o analista de mercado, Caio Junqueira, foi causada pela a geada que prejudicou as pastagens no mês passado, e estimulou a oferta do animal.

– A meu ver, o principal motivo para a enxuta oferta de animais, foi a geada. O clima foi o fator predominante para essa queda. A situação das pastagens está crítica, degradado Brasil a fora – disse.

Segundo o analista, de curto a médio prazo, deve haver mudança nos preços. A oferta de boi magro e de bezerro, de acordo com ele, é peça chave para o confinamento, mas deve sofrer mais que o boi gordo.

Junqueira diz que quando diminuir a oferta de boi de pasto deve ser apenas para o boi de confinamento. Segundo ele, isso não sustentará a pressão de baixa, portanto, os preços devem voltar a subir.

– Acredito que em 10 dias, o boi deve pegar uma vertente de alta – disse.


Siga IMOVEI$ RURAI$ OPORTUNIDADE$ & NEGÓCIO$ no twitter->@jlmmattos

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Cotações - MS

 MS

R$ 95,80Boi gordo
R$ 90,60Vaca gorda
R$ 16,00Milho - sc 60kg
R$ 58,00Soja - sc 60kg

Fonte:Famasul